02/12/2018Nenhum comentário

Minimalismo: “ser” e não de “ter”

Sempre achei que na vida existia um único caminho "correto": estudar muito, se formar, passar em um concurso público, comprar um apê, comprar coisas chiques, etc. Fiz tudo isso, mas depois de uns anos percebi que estava num ciclo vicioso e sem sentido para mim.


Estava vivendo um sonho dos outros, não o meu. Não estava feliz e precisava mudar. Na jornada da descoberta encontrei o minimalismo, que me mostrou um caminho mais parecido com o que estava buscando.


Geralmente quando conto sobre minimalismo para as pessoas elas acham que se trata de comprar menos. Reduzir o consumo é algo importante e incentivado no minimalismo, mas ele é muito mais que isto.

Na verdade, minimalismo é sobre consciência, mentalidade e espiritualidade. Não sobre coisas.

É uma ferramenta para te ajudar a ser mais livre. Livre de pressão, preocupações, culpa e medo. Livre para viver como achar adequado, perseguindo seus sonhos (não os dos outros), mesmo que eles não sejam comuns. Livre de verdade.

Remover todo o peso material e emocional da minha vida me deu mais espaço para respirar, planejar e aproveitar os maiores benefícios do minimalismo: tempo livre, clareza mental, menos stress, mais dinheiro e relacionamentos melhores.

Hoje em dia quando penso sobre a vida e o que sucesso significa pra mim eu já não vejo uma casa enorme, um carro novo a cada ano ou um guarda roupa cheio de coisas da moda.

Eu me vejo trabalhando com o que amo, impactando pessoas com o que crio, passando tempo de verdade com minha família e amigos, contribuindo com os projetos que acredito.

No fundo, felicidade é um estado de “ser” e não de “ter”.

02/12/2018Nenhum comentário

Minimalismo e autoconhecimento

Às vezes passo horas deitado na rede, pensando no que posso melhorar, nas decisões que preciso tomar e me cobrando bastante sobre tudo. Creio que muitos introvertidos sejam assim.

Esta autorreflexão é uma boa prática, principalmente quando estamos felizes com nossa situação e decisões.

Por outro lado, quando não estamos bem, esse ritual é complicado. É difícil lidar com nosso pior lado com paciência e carinho, sem canalizar energia negativa pros outros. Mas se não nos aceitamos nesse momento, como podem os outros?

Independente de onde você se encontra na jornada do minimalismo, provavelmente encontrará umas pedras no caminho. Você pode ser forçado a tomar decisões que vão de encontro com alguns valores.

Você vai bater de frente com julgamentos, medos, vergonha e opiniões dos outros. Talvez comece a se perguntar: essa mudança vale a pena?

Se você busca se conhecer melhor e de forma mais profunda, então sim. Se simplicidade te atrai, sim também. Se pretende ter uma vida mais leve, positiva e com menos stresses, então com certeza.

Independentemente do caminho que esteja, refletir e se analisar ajuda bastante.

Para muitos (eu inclusive) o minimalismo é um resultado dessa reflexão. Do cansaço de ter muito mais pra fazer do que dava conta, de muitas contas para pagar, pouco tempo livro e menos espaço ainda. Uma sensação de sobrepeso na vida.

É comum descobrir novas coisas sobre si quando começamos uma nova mudança. Para mim, o minimalismo foi a porta de entrada para algumas partes de mim que estavam sendo escondidas ou negadas em prol de acumular mais coisas na vida.

Voltar ao básico nos convida a focar em nós mesmos novamente: no que valorizamos, em como queremos passar o tempo e nas pessoas que realmente queremos por perto.

Tenha paciência na transição, pois ela é lenta. Lembre-se que onde você está hoje não é onde você começou. Você já avançou. Agora é ir cada vez mais fundo.

Para cada coisa negativa que descobrir sobre si, existem várias outras que você pode admirar. Sua impaciência, rispidez, ganância ou ansiedade não te definem. Como você lida com elas sim.

Seja gentil com você.

02/12/2018Nenhum comentário

Um estilo de vida mais simples

Parece fácil no começo, mas ter uma vida simples é algo que requer um trabalho constante. Eu, por exemplo, não me tornei minimalista da noite para o dia e ainda sinto que tenho um caminho a percorrer.

A verdade é que se tornar minimalista é um processo lento, diário e constante, porém muito recompensador.

Minimalismo é uma mentalidade, não um conjunto de regras. É ser grato por tudo que tem e não se preocupar com o que você não tem. Isto me permite ter uma vida menos estressante e mais simples.

Independente de onde você se encontra na sua jornada de ter uma vida mais simples, vai sempre precisar de energia e foco para conseguir alcançar os próximos objetivos.

Afinal, todos nós queremos uma vida menos ocupada, menos bagunçada e com menos coisas inúteis. Queremos uma vida com mais sentido, mais clareza e mais do que realmente importa.

Para desenhar a vida que sempre quis, o melhor a se fazer é começar com pequenas mudanças, que vão se somando ao longo do tempo. Isto permite que você se sinta confortável com sua nova rotina à medida que sua vida vai se transformando.

Dicas semanais sobre minimalismo direto na sua caixa de e-mail. Não se preocupe, eu odeio spam tanto quanto você e nunca mandarei nenhum:

svg-image